Pular para o conteúdo principal

Postagens

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil, aconteceram em 2007. Relembre todas as passagens da islandesa por nosso país, nesta matéria detalhada e cheia de curiosidades!

Antes de vir nos visitar em turnê, a cantora foi capa de algumas revistas brasileiras sobre música, incluindo a extinta Bizz, edição de Dezembro de 1989. A divulgação do trabalho dela por aqui, começou antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo, ainda com o Sugarcubes.
1996 - Post Tour:
SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk finalmente desembarcou no Brasil, com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.





Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser mui…
Postagens recentes

Björk assina petição criada por Greta Thunberg

Greta Thunberg e um grupo de jovens ativistas, desenvolveram uma carta aberta destinada a líderes e chefes de estado, exigindo uma reação emergencial a mudança climática. 
No texto, é cobrada a necessidade de se encarar a situação como uma crise, para que se evite um desastre ecológico. Foram estabelecidas abordagens e demandas que garantam direitos a indivíduos mais vulneráveis, na intenção de reduzir desigualdades: como econômica, racial e de gênero, além de medidas para proteger a democracia. 
A carta foi divulgada antes de uma cúpula do Conselho Europeu na sexta-feira (17), na qual nações da União Europeia de 27 membros discutiram o próximo orçamento do bloco e um pacote de recuperação para reagir ao choque econômico da pandemia do coronavírus. 
Uma das reivindicações da carta, trata da suspensão imediata de todos os investimentos na exploração e na extração dos combustíveis fósseis, paralelamente ao fim rápido dos subsídios concedidos a eles. "…

Hayley Williams compartilha cover caseiro de "Unison"

Hayley Williams fez um cover caseiro de Unison, faixa do Vespertine
Na publicação, ela contou que planejava cantar alguma canção de Björk este ano (provavelmente em sua turnê, que foi adiada devido à pandemia). A faixa escolhida está entre as 5 que ela mais gosta da islandesa. 
Ver essa foto no Instagram someone asked me to do a @bjork song a while back. to be honest, i was hoping to cover a different song of hers live this year but i guess that will have to wait until some other time... anyway, this one has to be in my top 5 - “Unison”. many apologies for this crudely casual rendition but it sure felt good. gnite neverland!Uma publicação compartilhada por hayley williams (@yelyahwilliams) em 15 de Jul, 2020 às 9:01 PDT
Hayley é fã de Björk há muitos anos, chegou até a visitar a exposição do MoMa, em 2015. Sempre comentou sobre os lançamentos de novos álbuns da nossa amada, falando dela com bastante respeito e admiração. 
Além disso, já disse inúmeras vezes em entr…

Uma noite especial: Björk, Joni Mitchell e convidados no Wiltern Theatre

Em 16 de abril de 1998, Björk e Joni Mitchell se apresentaram no Stormy Weather, um evento de caridade em apoio ao Walden Woods Project e Thoreau Institute, na companhia de outras grandes cantoras como Stevie Nicks, Trisha Yearwood, Sheryl Crow, Gwen Stefani, Shawn Colvin e Paula Cole, tendo como tema clássicos do jazz dos anos 30, 40 e 50 ao som de uma grande orquestra.
Na ocasião, a islandesa cantou três vezes:  Gloomy Sunday (popularizada por Billie Holiday).  The Love That Went Out of Style (canção de 1929).  What Is This Thing Called Love? (música de Cole Porter em um dueto com Joni Mitchell). 

Pouco mais de um mês depois do show, foi lançado um álbum ao vivo em tiragem limitada com alguns dos destaques da noite. Infelizmente, apenas Gloomy Sunday foi selecionada para o corte final. Além da outra canção, a parceria histórica de Björk com a lenda canadense permanece inédita em áudio e vídeo até hoje.
Curiosidades: Em 2007, foi lançado um disco em tributo à o…

A paixão de Björk por Kate Bush

"Eu gostaria de ouvi-la sem parar. Era muito divertido acompanhar sua música na Islândia. Eu acabei adquirindo os álbuns muitos anos depois que saíram, então eu não tinha qualquer contexto, eu estava simplesmente ouvindo-os no meu próprio contexto. E todas as minhas canções favoritas eram as “lado-B” do terceiro single, por exemplo.
E então eu vi alguns documentários sobre ela, era a primeira vez que eu via as coisas de um ponto de vista britânico e eles estavam falando: "Ela esteve no Top 3 das paradas musicais, e foi no Top of The Pops, e fez muito melhor do que o fracasso do álbum anterior”. E foi o oposto total para mim! É tão ridículo, esta narrativa de sucesso e fracasso. Como, se você faz algo surpreendente, a próxima coisa tem que ser horrível. É como o tempo ou algo assim. Dez anos mais tarde, alguém assiste na Islândia ou na China e é totalmente irrelevante.

Para mim, ela sempre representará a época de exploração da própria sexualidade,…

Vovó Björk

"Cresci com seis irmãos e irmãs pequenas. O meu meio irmão mais novo, é ainda mais jovem do que meu filho mais velho. Basta dizer que durante toda a minha vida, eu tinha dois ou três pequenos que se agarravam nas minhas pernas e me puxavam pela saia!
Tive permissão para fazer o que queria. Metade de mim é como uma criança, a outra é como a minha mãe. É por isso que as pessoas pensam que sou estúpida, inocente e ingênua.
Quando decidi que ia me mudar para Londres, pensei: "Vou ser muito egoísta, pegarei todos os instrumentos que eu quiser, construirei todos os ritmos e letras que eu gostar, e farei toda a música que eu puder, porque todo mundo tem que expressar sua visão, e não existem duas pessoas iguais. Poderia fazer isso e morrer tranquilamente achando que dei o meu melhor, que fiz os meus sacrifícios. Caso contrário, aos oitenta e cinco anos, com meus netos no colo e sentada em uma cadeira de balanço, diria: "Desculpe, não tive coragem&quo…

Hildur Rúna Hauksdóttir, a mãe de Björk

"Como eu estava sempre atrasada para a escola, comecei a enganar a minha família. Minha mãe e meu padrasto tinham o cabelo comprido e eles eram um pouco hippies. Aos dez anos de idade, eu acordava primeiro do que eles, antes do despertador tocar. Eu gostava de ir na cozinha e colocar o relógio 15 minutos mais cedo, e então eu iria acordá-los... E depois acordá-los novamente cinco minutos depois... E de novo. Demorava, algo como, quatro “rodadas”. E então eu acordava meu irmãozinho, todo mundo ia escovar os dentes, e eu gostava de ter certeza de que eu era a última a sair e, em seguida, corrigir o relógio. Fiz isso durante anos.
Por muito tempo, eu era a única criança da minha casa, e havia mais sete pessoas vivendo comigo lá. Todos tinham cabelos longos e ouviam constantemente Jimi Hendrix. O ambiente era pintado de roxo com desenhos de borboletas nas paredes, então eu tenho uma certa alergia a essa cor agora (risos). Vivíamos sonhando, e todos aquel…

Com shows beneficentes na Islândia, Björk oferecerá apoio aos artistas locais

Björk marcou quatro shows do espetáculo Orchestral na Islândia, que serão realizados no Harpa Concert Hall, com transmissão ao vivo online(Saiba mais clicando AQUI). Em nova entrevista ao Fréttablaðið, a artista falou da motivação por trás da série de espetáculos em meio a pandemia, planos para o futuro em sua carreira e pela primeira vez, sobre ser avó! Confira a tradução completa
Os próximos concertos acústicos da cantora, são uma espécie de celebração aos 27 anos de colaboração dela com artistas locais, com foco nos arranjos de sua autoria, passeando por canções de toda a discografia. Cada uma das apresentações contará com setlists diferentes. No total, foram escolhidas 44 faixas. Segundo a cantora, a ideia desse projeto surgiu com o livro de partituras que ela lançou em junho de 2017, em parceria com Jónas Sen. A publicação é destinada não só àqueles com experiência profissional, mas também qualquer pessoa que tenha o mínimo de conhecimento musical, com a dis…

Björk anuncia shows beneficentes na Islândia. Apresentações serão transmitidas online

Em 2020, Björk iria passar pela Europa com a turnê Orchestral, que tinha estreia marcada para julho. Com a situação do Coronavírus, as apresentações foram remarcadas para junho de 2021. No entanto, agora teremos a chance de vê-la no palco ainda este ano por uma causa super importante. Hoje (27/06), ela anunciou quatro shows na Islândia. O país está reabrindo após um longo período de confinamento por causa da pandemia. Por isso, está permitida a presença da plateia. O projeto conta com a colaboração de Iceland Airwaves, RÚV, Harpa, Promote Iceland e Icelandair.
Para cada noite de espetáculo beneficente, serão setlists diferentes, cerca de 44 faixas, com coros, cordas, metais e flautas; a partir dos arranjos criados pela artista. Ao lado dela, estarão vários de seus leais colaboradores. Os lucros serão revertidos ao Kvennaathvarfið, abrigo islandês que acolhe mulheres vítimas de violência doméstica, a intenção é também arrecadar fundos para outras instituições como essa a…

Afterwards: Björk canta em espanhol em parceria com Arca

KiCK i, novo álbum de Arca, já está disponível em todas as plataformas digitais. O disco traz Afterwards, uma parceria com Björk. Na faixa, a islandesa canta em espanhol! A letra é do poema Anoche mientras dormía, de Antonio Machado, escrito em 1907. 
As duas estrearam a canção no ano passado, em um show da venezuelana no The Shed, em NY. 

Em entrevista ao Pitchfork, Arca foi questionada se foi dela a ideia da islandesa cantar em espanhol na música. A artista respondeu: "Não, foi ideia da própria Björk. Rosalía, que também estava na nossa conversa por e-mail, a ajudou um pouco com a pronúncia. Eu amo o jeito que a Björk canta, não há pronúncia certa ou errada. Quando ela me enviou depois o arquivo de sua parte na gravação, fiquei arrepiada, incrédula. Adoraria que nós três fizéssemos uma canção juntas, mas é realmente difícil conciliar as agendas". 
Nas redes sociais, Björk escreveu: "Estou tão incrivelmente honrada em estar nesse disco. Nem…

Isaac Dunbar homenageia Björk no videoclipe de "Boy"

O legado de Björk ultrapassa gerações. 

No vídeo do single Boy, lançado pela RCA Records, o jovem cantor e compositor Isaac Dunbar, que tem apenas 17 anos, homenageou a islandesa reproduzindo o clipe icônico de Venus As A Boy, de 1993. 
"Este trabalho é uma versão em 3D, refeita quase que quadro a quadro, sincronizando com o ritmo da minha canção. Em sua música, Björk se referiu àquele garoto como "vênus", um símbolo do amor e da beleza reconhecidos universalmente. Me senti conectado com a maneira com a qual ela abordou um romance, espero que gostem!", escreveu o artista em post nas redes sociais.