Pular para o conteúdo principal

Björk na conferência de imprensa de sua exposição na Polônia


Na manhã de hoje, durante a conferência de imprensa da "Björk Digital" na Polônia, Björk mais uma vez deu uma entrevista ao vivo via vídeo usando seu avatar do VR de "Family". Confira o que a artista disse:

"Quando percebo que um amigo tem algum potencial, também vejo que isso reflete em mim", possivelmente se referindo ao Arca.

Quando questionada sobre o quanto seus personagens são parte de sua personalidade, ela respondeu: "Na verdade, não sei. Eu uso "roupas teatrais", mas que também são reais, assim como eu, embora sejam uma espécie de fantasia. Estes dois mundos estão entrelaçados".

E é claro, também falou sobre o novo álbum, "Utopia", que segundo a "Discs-Japan" e a "Suruga-Ya", sites de duas lojas japonesas de vendas de discos, tem lançamento marcado para o dia 24 de novembro, o que não está confirmado: "A mixagem levou meses para ficar pronta. Eu tenho que trabalhar duro o tempo todo. Isso não é devido à minha teimosia ou egoísmo, é que tenho que trabalhar nas minhas músicas por um longo tempo. O que vocês veem com os VRs do "Vulnicura" são registros em vídeo de músicas que doem no meu peito, que machucam a minha família. Estou no processo de tratar esta ferida".

De acordo com Björk, fazer o "Vulnicura" foi doloroso, mas ainda assim um trabalho fácil de mixar, enquanto "Utopia" foi totalmente o contrário. Ela classifica o processo de composição do novo álbum como algo muito divertido, e o descreveu como "fofo", "aéreo" e "cheio de luz".

Baseada em pesquisas que fez com James Merry, Björk disse que algumas mitologias antigas em que mulheres levavam suas crianças e flautas para ilhas desertas, lugares onde não havia violência, serviram de inspiração para compor o tema do álbum, o que teria formado uma espécie de balança entre luz e escuridão, feminino e masculino, além da "Kundalini Yoga", que Björk diz praticar há mais de 10 anos, e que também foi uma forte influência para o projeto visual de "Vulnicura" e "The Gate".

A islandesa ainda revelou que seu próximo videoclipe será bem diferente do de "The Gate", e que "Utopia" não é apenas um álbum cercado de otimismo, pois também tem seu lado voltado para a "escuridão". Diversos arranjos diferentes de flautas foram preparados para as músicas deste projeto, no entanto, vários não foram usados.



Saiba mais:
- Confirmados os primeiros shows após o lançamento do novo single. A cantora deve cantar novas músicas durante as apresentações.
- Atualização do catálogo de Björk no Spotify para o Brasil.
- Björk na capa da versão especial da "W Magazine" para colecionadores. 


Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Cornucopia: Björk estreia show em Nova Iorque

No ano passado, Björk viajou pela Europa promovendo Utopia, seu mais recente disco de estúdio. Na noite desta segunda-feira, 6 de maio, ela expandiu o conceito do álbum em uma emocionante e impressionante ilustração audiovisual.
Cornucopia estreou em Nova Iorque, como uma residência de oito shows no centro cultural The Shed, com ingressos esgotados. O espetáculo será transformado em uma turnê mundial nos próximos meses. As primeiras apresentações serão no México nos dias 17, 20 e 23 de agosto, no Parque Bicentenario.

A superprodução com direção de Lucrecia Martel, trouxe surpresas! No setlist, como já esperado, 12 das 14 canções do álbum lançado em 2017 (incluindo as primeiras performances de Body Memory Future Forever), além de algumas faixas não tocadas há muitos anos! Definitivamente, a performance mais elaborada da carreira da artista, como ela mesma já havia prometido. 
Cornucopia teve início com um pré-show do Hamrahlid Choir, coral de 50 pessoas do álbum Utopia, que também faz…

Cornucopia: Björk une conto de fadas e música em novo espetáculo

“É como uma girafa albina bebê": De acordo com Björk, é dessa forma que soam as flautas do show Cornucopia. No novo espetáculo da artista islandesa, sete flautistas a acompanham, todas mulheres. Ela mencionou esses animais como uma maneira de tentar traduzir a visão que ela tem de suas colaboradoras no projeto. "São bichinhos meio peludos e meio limpos ao mesmo tempo, mas não tanto quanto pensamos, já que na verdade (continuam sendo) girafas. Se é que isso faz algum sentido".
Essa entrevista foi concedida durante uma pausa nos ensaios em um jantar com a cantora. A jornalista Melena Ryzik e Björk ficaram sentadas de frente para o palco durante o bate-papo. 
A estreia das apresentações com ingressos esgotados no centro cultural The Shed, em Nova Iorque, foram anunciadas como a performance mais elaborada da cantora até hoje! O coral de 50 pessoas, a cabine de reverb feita sob medida, as projeções de vídeo hipnotizantes, o "som de 360 ​​graus" cuidadosamente posi…

Björk anuncia Cornucopia, a próxima fase de Utopia nos palcos

Para quem duvidou, a Utopia está realmente só começando... Após o fim das apresentações da primeira parte da turnê em julho na Europa, Björk anunciou o próximo passo da divulgação de seu disco mais recente. Como parte da nova edição do The Shed, a islandesa apresentará em Nova Iorque, Cornucopia, um novo concerto criado pela própria artista e dirigido em parceria com a cineasta argentina Lucrecia Martel, internacionalmente reconhecida como uma das mais importantes peças do cinema latino-americano. Entre os seus elogiados trabalhos, o filme Zama foi sucesso de crítica, em 2017.
"Estou muito animada em anunciar que farei parte da temporada de abertura do The Shed em Manhattan na próxima primavera. Neste inverno, prepararei meu show mais elaborado nos palcos, onde o ambiente acústico e o mundo digital vão estar de mãos dadas, com a ajuda de uma equipe de colaboradores sob medida!".

Lucrecia e a Rei Cine, produtora argentina que a representa, emitiram uma declaração à imprensa d…