Pular para o conteúdo principal

Encontrando Björk no Festival Internacional de Cinema em Reykjavík


Em reportagem especial para o site da Paste Magazine, o repórter Mark Rabinowitz relatou sua ida a Islândia para mais uma edição do Reykjavík International Film Festival, que aconteceu entre 28/09 e 08/10, e contou um pouco sobre seu encontro com Björk:

"Um dos benefícios de fazer parte do júri de um festival (além de poder visitar vários lugares), é o de estar entre os convidados, os cineastas e talvez um ou outro artista local conhecido, e foi assim que eu acabei em um jantar com Björk. Claro, qualquer pessoa que saiba o quanto a Islândia é pequena, espera dar de cara com ela em um pub da esquina, passeando com seu cachorro ou em uma piscina (os islandeses adoram mergulhar), e um colega meu, que já foi ao RIFF oito vezes, já até a tinha conhecido! Ela nos contou histórias sobre como foi mixar as canções de seu novo álbum, e depois nos levou para uma pequena festa de abertura de um festival local de artes.  

Ela disse ter trabalhado com duas engenheiras de som, sendo uma do Egito - o que é algo bastante raro na indústria da música, e revelou que elas se deixaram levar e acabaram fazendo 35 versões de cada música (até chegarem nas versões finais). Será lançado no mês que vem.

Foi a partir desse momento que eu percebi que na Islândia praticamente não existe essa "cultura da celebridade". Björk estava lá normalmente e ninguém se importou. Suas amigas nos disseram oi e ela nos apresentou, mas ela era simplesmente mais uma de nós, não uma vencedora do prêmio de Melhor atriz no Festival de Cannes. E isso prova que os islandeses não dão atenção a coisas que não são importantes, como o culto à celebridades. Eles gostam dela porque gostam dela (ou não), mas não tem nada a ver com ser famoso. Isso da fama também se estende ao ramo da política, como quando também conhecemos o presidente da Islândia em uma recepção em sua casa. Ele é um grande contador de histórias e, aparentemente, tem seu número disponível na lista telefônica". 



Postagens mais visitadas deste blog

Sindri Eldon explica antigo comentário sobre a mãe Björk

Foto: Divulgação/Reprodução.  O músico Sindri Eldon , que é filho de Björk , respondeu as críticas de uma antiga entrevista na qual afirmou ser um compositor melhor do que sua mãe.  Na ocasião, ele disse ao Reykjavík Grapevine : "Minha principal declaração será provar a todos o que secretamente sei há muito tempo: que sou melhor compositor e letrista do que 90% dos músicos islandeses, inclusive minha mãe".  A declaração ressurgiu no Twitter na última semana, e foi questionada por parte do público que considerou o comentário uma falta de respeito com a artista. Na mesma rede social, Sindri explicou:  "Ok. Primeiramente, acho que deve ser dito que isso é de cerca de 15 anos atrás. Eu era um idiota naquela época, bebia muito e estava em um relacionamento tóxico. Tinha um problema enorme e realmente não sabia como lidar com isso. Essa entrevista foi feita por e-mail por um cara chamado Bob Cluness que era meu amigo, então as respostas deveriam ser irônicas e engraçadas. Eu

Saiba tudo sobre as visitas de Björk ao Brasil

Foto: Divulgação (2007) As apresentações mais recentes de Björk no Brasil, aconteceram em 2007. Relembre todas as passagens da islandesa por nosso país, nesta matéria detalhada e cheia de curiosidades! Foto: Reprodução (1987) Antes de vir nos visitar em turnê, a cantora foi capa de algumas revistas brasileiras sobre música, incluindo a extinta  Bizz,  edição de Dezembro de 1989. A divulgação do trabalho dela por aqui, começou antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo, ainda com o  Sugarcubes . 1996 - Post Tour: Arquivo: João Paulo Corrêa SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.  Em outubro de 1996, Björk finalmente desembarcou no Brasil , com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Jan

Iris Van Herpen fala sobre colaboração com Björk

"Dez anos se passaram desde que tive a honra de criar o visual da capa do álbum Biophilia. Desde então, muitas performances ao vivo e momentos de expansão da mente foram compartilhados. Björk continua nos inspirando com sua música, sua voz para proteger a natureza e seu espírito colaborativo por um futuro mais saudável. Sou muito grata por essa colaboração em evolução.  Ela foi uma das primeiras a usar minhas peças. Estamos sempre em contato. Na verdade, faremos algo juntas em breve . A parte mais bonita do que faço é criar esses mundos alternativos, que alguém como Björk realmente incorpora. O filósofo Peter Sloterdijk fala sobre como todos nós vivemos em bolhas. Então, quando trabalho com as pessoas, parece que estou mergulhando na bolha delas, flutuando por um tempo e depois voltando à realidade".   "São essas conexões que me fazem continuar, que me fazem acreditar que a moda pode realmente transcender e nos levar a outro lugar. Eu sei disso através de Björk, que r

25 anos de Post - Conheça curiosidades sobre o álbum icônico de Björk

13 de junho de 1995: Há exatos 25 anos , era lançado Post , um dos trabalhos mais marcantes da carreira de Björk. Em comemoração a essa data especial, preparamos uma super matéria honrando a importância desse disco repleto de clássicos.  Para começar, conheça a história do álbum no documentário  dividido em dois episódios  na Websérie Björk . Os vídeos incluem imagens de bastidores, shows e diversas entrevistas detalhando a produção de Post e os acontecimentos daquela era. Tudo legendado em português !     Além disso, separamos vários depoimentos sobre as inspirações por trás das canções e videoclipes do álbum:  1. Army of Me: "Algumas das minhas melodias são muito difíceis para que outras pessoas possam cantar, mesmo que não envolvam técnicas específicas. Essa talvez é a única das minhas músicas que escapa desse 'padrão'. Me lembro de que, quando a escrevi, tentei ter um certo distanciamento. Meu irmão mais novo est

Afterwards: Björk canta em espanhol em parceria com Arca

Foto: Divulgação KiCK i , novo álbum de Arca , já está disponível em todas as plataformas digitais. O disco traz Afterwards , uma parceria com Björk . Na faixa, a islandesa canta em espanhol ! A letra é do poema Anoche mientras dormía , de Antonio Machado , escrito em 1907.  As duas estrearam a canção no ano passado, em um show da venezuelana no The Shed , em NY.  Foto: Annie Forrest Em entrevista ao Pitchfork , Arca foi questionada se foi dela a ideia da islandesa cantar em espanhol na música. A artista respondeu: "Não, foi ideia da própria Björk. Rosalía , que também estava na nossa conversa por e-mail , a ajudou um pouco com a pronúncia. Eu amo o jeito que a Björk canta, não há pronúncia certa ou errada. Quando ela me enviou depois o arquivo de sua parte na gravação, fiquei arrepiada, incrédula. Adoraria que nós três fizéssemos uma canção juntas, mas é realmente