Pular para o conteúdo principal

Vulnicura VR será lançado ainda em 2018


Em entrevista ao site MusicWeek, Andrew Melchior, diretor técnico e um dos colaboradores da exposição em realidade virtual de Björk, falou sobre o aguardado lançamento da plataforma pioneira Vulnicura VR iniciada pela artista ainda em 2015 durante a divulgação do disco. Três anos e um álbum depois, tudo indica que a islandesa finalmente irá lançá-lo para o grande público, já que os vídeos vinham sendo apresentados apenas dentro da Björk Digital

“Björk, James Merry, Derek Birkett - empresário dela e fundador da gravadora One Little Indian Records, e eu, decidimos explorar e entender como ajudá-la de forma técnica e criativa a traduzir sua música e visão artística no formato de mídia imersiva da realidade virtual. Ela criou o vídeo de "Stonemilker" em 360º, que filmado na Grötta Beach, na Islândia, em parceria com o brilhante diretor Andrew Thomas Huang, que foi lançado na primeira exposição no MoMA (e posteriormente em um aplicativo), usando apenas alguns iPhones com ótimos fones de ouvido".


"Desde então, passamos os últimos três anos criando mais cinco vídeos com diretores brilhantes e outros parceiros do ramo da tecnologia. A experiência estreou individualmente na altamente inovadora turnê da exposição Björk Digital, que até agora foi vista por mais de 250.000 visitantes ao redor do mundo".

Segundo Melchior, o álbum completo ao vivo* (?) de Vulnicura VR será lançado em todas as plataformas de realidade virtual antes do Natal via One Little Indian.

*Estamos muito curiosos quanto aos detalhes do conteúdo!!! A matéria menciona que um "full Vulnicura live album will be released on all VR platforms before Christmas", então vai saber, né.

"O álbum inclui uma seleção incrível de paisagens islandesas emocionalmente conectadas e a reprodução de áudio imersiva da mais alta qualidade possível neste meio em desenvolvimento".

Lembrando que segundo informações de um tweet de julho de Timoni West, um profissional também especialista na área de projetos em realidade virtual, a empresa Unity está envolvida em um álbum de Björk usando VRs, e para isso precisariam de pessoas capacitadas (especificamente engenheiros de áudio) que pudessem fazer parte do projeto, com inclusive, possibilidade de viagem até a Islândia.

Em 2016, quando concedeu uma entrevista para o podcast do Red Bull Music Academy, Björk falou sobre um possível lançamento dos VRs de "Vulnicura" no ano seguinte, o que não aconteceu: "Ainda temos alguns vídeos que não concluímos e pensamos que tudo fará mais sentido futuramente, porque tem um que funciona como uma página inicial. (...) Tentarei atualizar e concluir isso, o que provavelmente será em 2017. "Family" é a única música de "Vulnicura" que pode ser vista como a mãe, como o núcleo do álbum inteiro".

Hmm....

Em fevereiro, a versão inédita em 2D do VR de "Family" foi disponibilizada para venda na plataforma Patreon de Andrew Thomas Huang no valor de 5 dólares. Confira:


Recentemente, Björk recebeu 4 indicações ao UK Music Video Awards, incluindo Melhor Artista, Melhor Vídeo Alternativo - Internacional ("Utopia"), Melhor Design de Produção ("Arisen My Senses") e Melhores Efeitos Especiais ("The Gate"). Os vencedores serão anunciados no final de outubro.


Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Björk dá conselho para fãs em bate-papo no Instagram

Em turnê pela Europa, Björk respondeu perguntas dos fãs através dos Stories do Instagram. Ela também deu alguns conselhos para seus admiradores através do perfil da revista Dazed. O bate-papo aconteceu nesta terça-feira, 19 de novembro, dia da apresentação de Cornucopia na O2 Arena. Confira a tradução completa da conversa: 
- Estou em uma banda, mas às vezes sinto que estou arrastando os outros comigo. O que devo fazer?
Talvez isso seja justo o suficiente se não forem as músicas deles, sabe? Quando eu estava em bandas, sempre co-escrevíamos, e quando eu estava com vontade de compartilhar minhas próprias músicas, me afastava para criar. Trazê-la (pronta) para os ensaios não pareceria o certo a se fazer. Mas, novamente, a sinergia em um grupo de pessoas trabalhando juntas é um dos momentos mais nutritivos que existem, mas é um ato delicado de equilíbrio.
- Você acha que a indústria da música tem um futuro agora que ninguém mais compra música?
Sim, seria incrível se os sites de streaming f…

Exposição Björk Digital chega a Brasília em Dezembro

Depois de uma temporada de sucesso em São Paulo, a exposição Björk Digital passará por Brasília. A informação foi confirmada pela própria Björk, que contou a novidade empostnas redes sociais em agosto. A mostra fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de 3 de Dezembro de 2019 a 9 de fevereiro de 2020. Os ingressos são gratuitos.
Na programação estão inclusos: 6 vídeos de Vulnicura, sendo 5 em realidade virtual (Stonemilker, Mouth Mantra, Quicksand, Family e Notget), e uma instalação especial (Black Lake), além da sessão de videoclipes de Björk, incluindo os do álbum Utopia, remasterizados em alta definição (exibidos em sala de cinema) e uma área dedicada ao projeto educativo de Biophilia. Confira mais detalhes AQUI.
A exposição é apresentada pelo Ministério da Cidadania e Secretaria Especial da Cultura, patrocinada pelo Banco do Brasil, realizada no CCBB Brasília pela Cinnamon Comunicação.
No ano que vem, chega ao CCBB do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte, em março e junho d…

Com Cornucopia, Björk inicia apresentações em arenas na Europa

Björk tocando na O2 Arena é algo que poderia ter feito mais sentido nos anos 90, se o local já existisse. Foi naquela época que a artista islandesa fez álbuns que venderam milhões, e que sua voz surpreendente esteve em maior evidência na mídia. Hoje, isso é uma lembrança distante para ela, que optou por um trabalho ainda mais experimental, como em Utopia (2017).
No entanto, uma apresentação está marcada na O2 para o dia 19 de novembro. Será o maior show dela em Londres nesses 42 anos de carreira. "Obviamente, jurei na adolescência que nunca tocaria em uma arena na minha vida", ela contou ao jornal britânico Evening Standart UK. “Mas as dos Anos 80 são diferentes das arenas recém-construídas e, de certa forma, os teatros do Século XVIII tem tanta bagagem. Mas é claro que isso é um experimento, assim como tudo o que faço. Acho que não vale a pena fazer, a menos que seja algo que nunca fiz antes, né? Inicialmente, eu esperava que teatros tradicionais pudessem nos receber, mas …