Pular para o conteúdo principal

Edital do CCBB indica que a exposição Björk Digital virá ao Brasil


E não é que era verdade mesmo? Em julho, em sua coluna no O Globo, o jornalista Lauro Jardim comentou em primeira mão sobre as grandes chances da Björk Digital passar pelo Brasil. 

Na época, as negociações já estariam bem avançadas e na fase de captação de recursos. Ele citou a produtora Dueto, de Monique Gardenberg, como uma das interessadas em trazer a mostra ao país. Em 2007; a diretora, produtora cultural e cineasta brasileira convidou junto do diretor Hector Babenco a própria Björk para a pré-estreia do filme "O Passado", quando a cantora esteve no Brasil com a turnê do álbum Volta. As duas já se conheciam das outras passagens da artista por aqui, em 1996 e 1998 com os shows de Post e Homogenic. A Dueto Produções foi, inclusive, a responsável por dois dos três festivais que a trouxeram ao Brasil.

No entanto, na tarde de hoje (28/11), fomos surpreendidos com a possível indicação de que tudo realmente vai acontecer, mas com a ajuda também de outras pessoas! O projeto é citado na lista presente no edital dos agraciados com o patrocínio do Centro Cultural Banco do Brasil

Música, arte e tecnologia:

A exposição da islandesa estreou há mais de 2 anos e nas outras edições pelo mundo, celebrou o trabalho da artista com diversas atividades, incluindo uma sessão de videoclipes remasterizados, vídeos imersivos em realidade virtual, interações com o universo criativo dos aplicativos e instrumentos de Biophilia, e até shows e DJsets da cantora em alguns dos países que receberam a grande produção, que tem sido muito elogiada pelo público. 

No Brasil, a responsável pela vinda da exposição é também a Cinnamon Comunicação, que em 2015 trouxe o VR de Stonemilker para o evento Music Video Festival! A empresa surgiu em 2002 prestando serviços de relações públicas para clientes nacionais e internacionais, com foco na indústria audiovisual, mas a partir de 2007 abriu espaço para mais projetos culturais, e desde então se especializou em uso de leis de incentivo, atuando no desenvolvimento de conteúdo, formatação, aprovação, produção e divulgação de seus projetos e de terceiros, nas mais diversas linguagens.

Björk estreia no ano que vem Cornucopia, a próxima fase de apresentações da turnê do disco Utopia, um show que ela classifica como sendo o mais elaborado de sua carreira. Vamos torcer para que ela não esqueça dos fãs brasileiros!

Fundado em 1989, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) é uma rede de espaços culturais geridas e mantidas pelo Banco do Brasil, com o objetivo de disseminar a cultura pela população. Atualmente, encontra-se instalado em quatro capitais brasileiras: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília.

Ainda não houve um anúncio oficial por parte de nenhuma das instituições, portanto não sabemos uma data específica, mas o edital explicita que a exposição deve ocorrer entre 2019 e 2020.

Outras possibilidades: Segundo coluna de Mônica Bergamo para a Folha, a exposição será aberta em junho, no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo.

Saiba mais:



Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil aconteceram há mais de 10 anos, entre 26 e 31 de Outubro de 2007. Relembre estas e outras passagens da islandesa, que já disse ter vivido momentos mágicos em nosso país.
Mas antes de tudo, uma curiosidade: Björk já foi capa da famosa/extinta revista brasileira Bizz, edição de Dezembro de 1989, o que comprova a divulgação do trabalho da artista no Brasil antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo.

1996 - Post Tour:
SETLIST: Army of Me/One Day/The Modern Things/Venus as a Boy/You've Been Flirting Again/Isobel/Possibly Maybe/I Go Humble/Big Time Sensuality/Hyperballad/Human Behaviour/The Anchor Song/I Miss You/Crying/Violently Happy/It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk vinha pela primeira vez ao Brasil com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.



Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser mu…

Museu da Imagem e do Som confirma a exposição "Björk Digital" em São Paulo

Inédita no Brasil, a exposição Björk Digital celebra o trabalho e o universo criativo da artista islandesa. Dividida em sessões compostas por experiências em realidade virtual e elementos audiovisuais imersivos, a mostra ficará em cartaz no MIS entre 18 de junho e 18 de agosto, depois de passar por cidades como Tóquio, Sidney e Londres.
Trazida em parceria com a produtora Dueto, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cidadania e Vivara, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O MIS é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.
Na programação estão inclusos: 6 vídeos de Vulnicura em realidade virtual (Stonemilker, Black Lake, Mouth Mantra, Quicksand, Family e Notget), uma sessão de videoclipes de Björk remasterizados em alta definição (exibidos em sala de cinema) e uma área dedicada ao projeto educativo de Biophilia.
A venda de ingressos antecipados para a primeira semana da exposição, com horários de sessões a serem escolhidos, i…

Cineasta argentina Lucrecia Martel dirigirá novo show de Björk

Cornucopia, o novo show de Björk, estreia em maio no The Shed, em Nova Iorque! Inclusive, esse lugar que receberá a mini residência promete ser um dos espaços culturais mais importantes da cidade, principalmente por ter a capacidade de se transformar fisicamente ao criar ambientes dinâmicos de acordo com as visões dos artistas que ali aparecem nos próximos anos.
A temporada de oito concertos ganhou novos detalhes muito interessantes. A cineasta argentina Lucrecia Martel se juntou ao time de colaboradores da islandesa e dirigirá o espetáculo. Internacionalmente reconhecida como uma das mais importantes peças do cinema latino-americano, Martel obteve sucesso de crítica em seu trabalho, incluindo Zama, seu mais recente filme lançado em 2017. Entre suas obras, destacam-se também: La Ciénaga (2001), A Menina Santa (2004) e A Mulher sem Cabeça (2008). Confira mais detalhes clicando aqui
Lucrecia e a Rei Cine, produtora argentina que a representa, emitiram uma declaração à imprensa destaca…