Pular para o conteúdo principal

"The Juniper Tree", filme estrelado por Björk, será relançado


The Juniper Tree é um filme islandês com um pequeno elenco de cinco atores, incluindo Björk quando ela ainda fazia parte do Sugarcubes. Foi escrito, produzido e dirigido por Nietzchka Keene baseado no conto de mesmo nome dos Irmãos Grimm. Rodado no verão de 1986 com um orçamento extraordinariamente baixo, o filme só foi lançado em 1990 dentro do Sundance Film Festival. Filmado em preto e branco na paisagem de cinzas vulcânicas da Islândia para destacar seu conteúdo dramático, além de um recurso para ambientar a história como parte da Idade Média, este filme se tornou popular entre os admiradores de Björk depois que ela ganhou fama internacional. 

A boa notícia é que a obra foi restaurada em 4K por órgãos especializados no arquivamento e preservação de materiais do cinema, televisão, rádio e teatro; Wisconsin Center for Film & Theatre Research, com financiamento fornecido pela The Film Foundation e pela George Lucas Family Foundation

Os direitos do longa foram adquiridos pela distribuidora Arbelos, que exibirá o filme em cinemas norte-americanos, começando no Metrograph New York de 15 a 21 de março de 2019, antes de um eventual lançamento digital, VOD (Video on Demand), em DVD e em Blu-Ray em setembro.


A edição totalmente restaurada já havia estreado no renomado festival cinematográfico AFI Fest em 10 de novembro de 2018. O longa também será apresentado em maio na França. Ainda não foi divulgado se será distribuído para mais países. Em julho do ano passado, o Björk BR publicou uma versão legendada em Widescreen de The Juniper Tree como um episódio de 23 minutos da Websérie Björk. Assista AQUI.


A cada ano, o AFI Fest dedica uma parte de sua programação à uma retrospectiva de filmes antigos que merecem ser redescobertos. Em 2018, esta seção foi dedicada inteiramente a obras dirigidas por mulheres, incluindo cineastas menos conhecidas como Nietzchka Keene, cuja carreira foi interrompida quando morreu vítima de um câncer de pâncreas em 2004. Subestimada, Keene fez filmes com orçamentos extremamente baixos, mas com composições de imagem impressionantes.

Sinopse:
The Juniper Tree retrata a história de duas mulheres, Margit (Björk Guðmundsdóttir) e sua irmã mais velha Katla, que escapam de casa depois que a mãe delas é apedrejada e queimada acusada de bruxaria. As duas acabam em um lugar no qual ninguém as conhece, e encontram Jóhann, um jovem viúvo que tem um filho chamado Jónas. Katla usa seus poderes mágicos para seduzir Jóhann e eles começam a viver juntos. Margit e Jónas se tornam amigos. No entanto, Jónas não aceita Katla como sua madrasta e tenta convencer seu pai a deixá-la. O poder de Katla é muito forte e mesmo Jóhann sabendo que deveria deixá-la, ele não consegue. Enquanto isso, a mãe das duas aparece para Margi em visões, e a mãe de Jónas surge como um corvo que entrega a ele uma espécie de amuleto de proteção.


Assista ao trailer da edição remasterizada de The Juniper Tree:


Postagens mais visitadas deste blog

Björk e Milton Nascimento - A Travessia para um grande encontro

Foto: Horácio Brandão/Midiorama (1998) Poucas horas antes do show no  Metropolitan , no Rio de Janeiro, em 20 de agosto de 1998 (saiba mais AQUI ), Björk    conversou com a imprensa brasileira, e esteve junto de Milton Nascimento . Ela foi uma das atrações principais do festival Close-Up Planet : Fotos: Site Rock em Geral (1998) Ao jornal  Extra , ela contou que é fã não só de Elis, mas também do Sepultura . Falando de Milton Nascimento, revelou: "Cheguei no sábado (acompanhada de uma amiga de infância) e fiquei bêbada com algumas pessoas ouvindo as músicas dele". Segundo a publicação, a cantora teria cogitado a ideia de ir a apresentação "Tambores de Minas" da lenda brasileira, no Canecão . Ela admitiu que do line-up do festival, só conhecia mesmo as atrações internacionais: "Tenho que dizer que sou ignorante em relação à música brasileira, e isso me envergonha". Também deixou claro que, como de costume, não incluiria nada do Sugarcubes

Saiba tudo sobre as visitas de Björk ao Brasil

Foto: Divulgação (2007) As apresentações mais recentes de Björk no Brasil, aconteceram em 2007. Relembre todas as passagens da islandesa por nosso país, nesta matéria detalhada e cheia de curiosidades! Foto: Reprodução (1987) Antes de vir nos visitar em turnê, a cantora foi capa de algumas revistas brasileiras sobre música, incluindo a extinta  Bizz,  edição de Dezembro de 1989. A divulgação do trabalho dela por aqui, começou antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo, ainda com o  Sugarcubes . 1996 - Post Tour: Arquivo: João Paulo Corrêa SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet. Em outubro de 1996 , Björk finalmente desembarcou no Brasil, com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no R

Björk ganha sua própria estação musical na Sonos Radio HD

Björk agora é parte da curadoria da estação de canções da empresa  Sonos Radio HD . A intenção é oferecer acesso a algumas das inspirações e obsessões musicais dos artistas, incluindo comentários. O projeto ainda conta com D'Angelo , FKA Twigs e The Chemical Brothers no time de convidados do serviço online por assinatura.  Vivendo no "oceano" da música:  "Estou muito emocionada por ter tido um motivo para passar 21 anos colecionando música. Desde o meu primeiro laptop , já tinha o costume de comprar CDs, de encontrar estranhamente Fitas K7 e de garimpar vinis em lojas secretas nas minhas viagens. Sempre reunindo tudo na minha biblioteca pessoal, com lindos arquivos do formato WAV .  Era apenas uma questão de tempo para que então eu pudesse compartilhá-los de outra forma: através da nuvem e streaming . Grande parte do meu coração está nesse material. Tantas memórias inacreditáveis ​​com amigos e entes queridos! DJsets em barzinhos e todos os tipos de ocasiões poss

Em carta aberta no Facebook, Björk fala sobre assédio sexual

Björk publicou em seu Facebook, na tarde deste domingo, um texto em que revela que foi vítima de assédio sexual por um diretor dinamarquês . Confira a tradução do post na íntegra: "Me sinto inspirada por ver mulheres pelo mundo se pronunciando sobre esses casos (de abuso sexual) na internet. Isso me fez sentir vontade de contar minha experiência com um diretor dinamarquês.  Porque eu venho de um país onde a diferença entre os sexos é pequena, apesar de ainda existir, e no momento em que tenho certa força no mundo da música com uma independência, que foi duramente conquistada, sempre esteve extremamente claro para mim que quando eu entrasse na carreira de atriz, meu papel e humilhação como uma menor sexualmente assediada seria uma norma para um diretor cuja a equipe de dezenas de pessoas permitiu e o encorajou a fazer isso.  Eu estava ciente de que é algo universal, em que um diretor pode tocar e assediar suas atrizes à vontade e a indústria do cinema permite

Einar e o fim do Sugarcubes

Foto: Divulgação "Me lembro de ter passado horas conversando com o Einar sobre o fim do grupo. Ele achava que a banda tinha sido a coisa mais preciosa da nossa vida. Eu sugeri que ele seguisse em frente. Se nós o tivéssemos escutado, o Sugarcubes nunca teria se separado. Eu teria montado um pequeno palco em uma praia, e cantado os sucessos do disco feito na minha infância e algumas músicas dos Sugarcubes para um público usando chinelos e roupas de banho. Então nós estaríamos em turnê, antes de desaparecer novamente em nossa aposentadoria dourada. Einar queria uma vida tranquila, ser reconhecido como um grande artista. Ele não entendia que eu aspirava algo a mais". - Björk em entrevista ao Les Inrockuptibles , 1995.