Pular para o conteúdo principal

Cineasta argentina Lucrecia Martel dirigirá novo show de Björk


Cornucopia, o novo show de Björk, estreia em maio no The Shed, em Nova Iorque! Inclusive, esse lugar que receberá a mini residência promete ser um dos espaços culturais mais importantes da cidade, principalmente por ter a capacidade de se transformar fisicamente ao criar ambientes dinâmicos de acordo com as visões dos artistas que ali aparecem nos próximos anos.

A temporada de oito concertos ganhou novos detalhes muito interessantes. A cineasta argentina Lucrecia Martel se juntou ao time de colaboradores da islandesa e dirigirá o espetáculo. Internacionalmente reconhecida como uma das mais importantes peças do cinema latino-americano, Martel obteve sucesso de crítica em seu trabalho, incluindo Zama, seu mais recente filme lançado em 2017. Entre suas obras, destacam-se também: La Ciénaga (2001), A Menina Santa (2004) e A Mulher sem Cabeça (2008). Confira mais detalhes clicando aqui

Lucrecia e a Rei Cine, produtora argentina que a representa, emitiram uma declaração à imprensa destacando a grande emoção dessa união de artistas tão inspiradoras: "Eu me sinto muito orgulhosa em estar trabalhando com uma das mulheres mais inovadoras do mundo da música. Colaborar em um show de Björk é um passaporte para o século XXII".

Através das redes sociais, Björk também falou sobre a parceria: "É com grande prazer que anuncio a chegada da incrível Lucrecia Martel na nossa equipe. Eu admiro o trabalho dela há muito tempo e não posso acreditar em minha bênção em tê-la aqui para completar este nosso mundo utópico no The Shed. Ela dirigirá o 'Cornucopia' e é com um caloroso abraço que a acolhemos com toda sua fertilidade, inteligência, humor e graça".


Martel tem tomado muito cuidado para não revelar detalhes. Em entrevista ao Los Andes, ela desconversou: "Estamos trabalhando em um horário no qual as pessoas estão acordando no momento em que eu deveria estar dormindo". Para quem a acompanha, essa colaboração com Björk pode parecer inesperada. O convite partiu da seguinte forma: 

"Eu recebi um e-mail misterioso. Era dela, isso no meio do ano passado! Ficamos de conversar pessoalmente se eu fosse vê-la na Europa, mas passamos um tempo sem nos falar novamente. Mas aí em janeiro chegou uma mensagem dela me perguntando se eu estava interessada em fazer parte disso. E como eu poderia resistir? Durante toda a sua vida, Björk tem procurado se afastar do lugar de conforto que sua posição lhe permitiria. Ela criou um universo para esse show e tem persistido em sua construção. Eu já tinha muita admiração por ela, agora tenho devoção!".


Lucrecia Martel substituirá John Tiffany na equipe, ganhador do Tony Award de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. Segundo a organização do evento, ele teve que se afastar do projeto devido a conflitos de agenda.

Além dos arranjos musicais ao vivo, o novo show de Björk contará com ampla tecnologia digital e projeções visuais deslumbrantes, portando promete ser um dos mais impressionantes de sua carreira.

Confira um vídeo com a prévia da estrutura móvel do local do evento:



Postagens mais visitadas deste blog

Björk dá conselho para fãs em bate-papo no Instagram

Em turnê pela Europa, Björk respondeu perguntas dos fãs através dos Stories do Instagram. Ela também deu alguns conselhos para seus admiradores através do perfil da revista Dazed. O bate-papo aconteceu nesta terça-feira, 19 de novembro, dia da apresentação de Cornucopia na O2 Arena. Confira a tradução completa da conversa: 
- Estou em uma banda, mas às vezes sinto que estou arrastando os outros comigo. O que devo fazer?
Talvez isso seja justo o suficiente se não forem as músicas deles, sabe? Quando eu estava em bandas, sempre co-escrevíamos, e quando eu estava com vontade de compartilhar minhas próprias músicas, me afastava para criar. Trazê-la (pronta) para os ensaios não pareceria o certo a se fazer. Mas, novamente, a sinergia em um grupo de pessoas trabalhando juntas é um dos momentos mais nutritivos que existem, mas é um ato delicado de equilíbrio.
- Você acha que a indústria da música tem um futuro agora que ninguém mais compra música?
Sim, seria incrível se os sites de streaming f…

Exposição Björk Digital chega a Brasília em Dezembro

Depois de uma temporada de sucesso em São Paulo, a exposição Björk Digital passará por Brasília. A informação foi confirmada pela própria Björk, que contou a novidade empostnas redes sociais em agosto. A mostra fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de 3 de Dezembro de 2019 a 9 de fevereiro de 2020. Os ingressos são gratuitos.
Na programação estão inclusos: 6 vídeos de Vulnicura, sendo 5 em realidade virtual (Stonemilker, Mouth Mantra, Quicksand, Family e Notget), e uma instalação especial (Black Lake), além da sessão de videoclipes de Björk, incluindo os do álbum Utopia, remasterizados em alta definição (exibidos em sala de cinema) e uma área dedicada ao projeto educativo de Biophilia. Confira mais detalhes AQUI.
A exposição é apresentada pelo Ministério da Cidadania e Secretaria Especial da Cultura, patrocinada pelo Banco do Brasil, realizada no CCBB Brasília pela Cinnamon Comunicação.
No ano que vem, chega ao CCBB do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte, em março e junho d…

Com Cornucopia, Björk inicia apresentações em arenas na Europa

Björk tocando na O2 Arena é algo que poderia ter feito mais sentido nos anos 90, se o local já existisse. Foi naquela época que a artista islandesa fez álbuns que venderam milhões, e que sua voz surpreendente esteve em maior evidência na mídia. Hoje, isso é uma lembrança distante para ela, que optou por um trabalho ainda mais experimental, como em Utopia (2017).
No entanto, uma apresentação está marcada na O2 para o dia 19 de novembro. Será o maior show dela em Londres nesses 42 anos de carreira. "Obviamente, jurei na adolescência que nunca tocaria em uma arena na minha vida", ela contou ao jornal britânico Evening Standart UK. “Mas as dos Anos 80 são diferentes das arenas recém-construídas e, de certa forma, os teatros do Século XVIII tem tanta bagagem. Mas é claro que isso é um experimento, assim como tudo o que faço. Acho que não vale a pena fazer, a menos que seja algo que nunca fiz antes, né? Inicialmente, eu esperava que teatros tradicionais pudessem nos receber, mas …