Pular para o conteúdo principal

A influência do duo Sparks na vida de Björk

"Eu era obcecada pela dupla Sparks, que surpreendia todo mundo. Meu padrasto, com quem morei dos 4 aos 14 anos, era guitarrista. Ele tocava em bandas na Islândia e era muito bom. Então fui criada ouvindo muita música desse estilo, incluindo Eric Clapton, Cream, Jimi Hendrix, Frank Zappa, todas essas coisas. Essa era a norma lá na minha casa! Ele e minha mãe odiavam Sparks, o que me fazia gostar ainda mais. Eu devia ter uns 7 anos". 

A artista conta que com essa mesma idade, decidiu se "rebelar" contra o ambiente hippie que a cercava. Pegou o aparelho de som que tinham e colocou para tocar a canção This Town Ain't Big Enough for Both of Us do duo

"Eles não gostaram muito, achavam que era muito pop, sem credibilidade e bastante cômico. Mas aquela foi a primeira vez que eu disse: "Tenho um disco e vou escutá-lo. Agora todos vocês também precisam ouvir o que gosto". Fiz isso por muito tempo e os deixei loucos". 

O álbum Kimono My House é um de seus favoritos na vida. Foi um presente do pai:

"Eram dez hippies e eu naquela casa. Eu já estava farta de todos os discos psicodélicos. Achava muito chato e repetitivo. Então naquele momento, me tornei alguém que precisava ouvir coisas diferentes do que o gosto deles. E esse é um álbum também apropriado para crianças, sabe: "Esta cidade não é grande o suficiente para nós dois, e não sou eu quem vai embora". Isso era uma declaração muito legal! 

Eu achava os dois tão teatrais! Era algo muito mais expressivo do que o pop comum. Não era só aquilo de "eu te amo e você me ama". Adoro o jeito como Russel Mael canta como uma gueixa. Até usavam os trajes, e eu já gostava muito da cultura japonesa. 

As crianças costumam gostar de um tipo de música que torna fácil imaginar o que está acontecendo na letra. Eu estava entediada com isso de guitarras e rock n'roll. Sparks era muito mais interessante, como um conto de fadas. Eles eram a coisa mais revigorante na minha vida". 

- Entrevistas para Q Magazine, Mixmag e Melody Maker, 1993. 

Em 18 de junho de 2021, será lançado nos cinemas da América do Norte e Europa The Sparks Brothers, com direção de Edgar Wright. O documentário conta a história pouco conhecida e o pioneirismo dos irmãos Ron e Russell Mael. Björk está no time de artistas com depoimentos no filme. Segundo a página do projeto no IMDb, foi incluída uma gravação da voz da islandesa. 

Fotos: Divulgação. 


Confira o trailer:

Postagens mais visitadas deste blog

Sindri Eldon explica antigo comentário sobre a mãe Björk

Foto: Divulgação/Reprodução.  O músico Sindri Eldon , que é filho de Björk , respondeu as críticas de uma antiga entrevista na qual afirmou ser um compositor melhor do que sua mãe.  Na ocasião, ele disse ao Reykjavík Grapevine : "Minha principal declaração será provar a todos o que secretamente sei há muito tempo: que sou melhor compositor e letrista do que 90% dos músicos islandeses, inclusive minha mãe".  A declaração ressurgiu no Twitter na última semana, e foi questionada por parte do público que considerou o comentário uma falta de respeito com a artista. Na mesma rede social, Sindri explicou:  "Ok. Primeiramente, acho que deve ser dito que isso é de cerca de 15 anos atrás. Eu era um idiota naquela época, bebia muito e estava em um relacionamento tóxico. Tinha um problema enorme e realmente não sabia como lidar com isso. Essa entrevista foi feita por e-mail por um cara chamado Bob Cluness que era meu amigo, então as respostas deveriam ser irônicas e engraçadas. Eu

Saiba tudo sobre as visitas de Björk ao Brasil

Foto: Divulgação (2007) As apresentações mais recentes de Björk no Brasil, aconteceram em 2007. Relembre todas as passagens da islandesa por nosso país, nesta matéria detalhada e cheia de curiosidades! Foto: Reprodução (1987) Antes de vir nos visitar em turnê, a cantora foi capa de algumas revistas brasileiras sobre música, incluindo a extinta  Bizz,  edição de Dezembro de 1989. A divulgação do trabalho dela por aqui, começou antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo, ainda com o  Sugarcubes . 1996 - Post Tour: Arquivo: João Paulo Corrêa SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.  Em outubro de 1996, Björk finalmente desembarcou no Brasil , com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Jan

Nos 20 anos de Vespertine, conheça as histórias de todas as canções do álbum lendário de Björk

Vespertine está completando 20 anos ! Para celebrar essa ocasião tão especial, preparamos uma super matéria . Confira detalhes de todas as canções e vídeos de um dos álbuns mais impressionantes da carreira de Björk ! Coloque o disco para tocar em sua plataforma digital favorita, e embarque conosco nessa viagem.  Foto: Inez & Vinoodh.  Premissa:  "Muitas pessoas têm medo de serem abandonadas, têm medo da solidão, entram em depressão, parecem se sentir fortes apenas quando estão inseridas em grupos, mas comigo não funciona assim. A felicidade pode estar em todas as situações, a solidão pode me fazer feliz. Esse álbum é uma maneira de mostrar isso. "Hibernação" foi uma palavra que me ajudou muito durante a criação. Relacionei isso com aquela sensação de algo interno e o som dos cristais no inverno. Eu queria que o álbum soasse dessa maneira. Depois de ficar obcecada com a realidade e a escuridão da vida, de repente parei para pensar que inventar uma espécie de paraí

Björk está no elenco de 'The Northman’, filme de Robert Eggers

Em outubro de 2019 , o site IndieWire garantiu que Björk estava em negociações avançadas para participar de uma nova produção do diretor Robert Eggers , responsável pelos filmes "A Bruxa" (2015) e "O Farol" (2019).  O longa, intitulado de The Northman , foi descrito como uma "saga de vingança viking", na qual um príncipe nórdico (Alexander Skarsgård) procura por justiça após seu pai ser assassinado. A história é ambientada na Islândia , na virada do Século X.  Foto: Santiago Felipe. O roteiro de Eggers foi escrito em parceria com Sjón , um grande amigo e colaborador da islandesa ( Isobel , Jóga , Bachelorette , Selmasongs , Oceania , Wanderlust , The Comet Song , Cosmogony , Virus , Solstice ). Nicole Kidman , Alexander Skarsgård , Anya Taylor-Joy , Bill Skarsgård , Kate Dickie , Ralph Ineson , Claes Bang , Ethan Hawke  e Willem Dafoe também fazem parte do elenco.  A trilha sonora é de Robin Carolan e Vessel .  Foto: Reprodução.  O Belfast Telegraph ,

Björk e a paixão pelo canto de Elis Regina: "Ela cobre todo um espectro de emoções"

"É difícil explicar. Existem várias outras cantoras, como Ella Fitzgerald , Billie Holiday , Edith Piaf , mas há alguma coisa em Elis Regina com a qual eu me identifico. Então escrevi uma canção, Isobel , sobre ela. Na verdade, é mais uma fantasia, porque sei pouco a respeito dela".  Quando perguntada se já viu algum vídeo com imagens de Elis, Björk respondeu:  "Somente um. É um concerto gravado no Brasil, em um circo, com uma grande orquestra. Apesar de não conhecê-la, trabalhei com ( Eumir ) Deodato e ele me contou várias histórias sobre ela. Acho que tem algo a ver com a energia com a qual ela canta. Ela também tem uma claridade no tom da voz, que é cheia de espírito.  O que eu gosto em Elis é que ela cobre todo um espectro de emoções. Em um momento, ela está muito feliz, parece estar no céu. Em outro, pode estar muito triste e se transforma em uma suicida".  A entrevista foi publicada na Folha de São Paulo , em setembro de 1996. Na ocasião, Björk divulgava o