Pular para o conteúdo principal

Björk é a produtora executiva de documentário sobre obra de Meredith Monk

Por essa a gente não esperava...

Björk está creditada como produtora executiva de um documentário de 90 minutos sobre a grande artista norte-americana Meredith Monk, Dancing Voice, Singing Body.

A Jewish Story Partners, fundação de Steven Spielberg e Kate Capshaw, é a responsável pelo financiamento. A missão da instituição é apoiar filmes independentes que utilizam de perspectivas diferenciadas para retratar o diversificado espectro de experiências, histórias e culturas judaicas. A informação foi confirmada no site oficial da organização e nas redes sociais de Monk.

O projeto também conta com a direção dos cineastas Billy Shebar e David Roberts. Ainda em fase de suporte e desenvolvimento, nenhuma data de lançamento foi confirmada. Será uma combinação de animação, entrevistas e performances explorando a vida e a obra de Meredith, em paralelo com o desenvolvimento da própria arte moderna. Centenas de arquivos exclusivos foram usados, capturando a liderança de Monk. 

Björk é uma grande fã de Meredith Monk desde a adolescência. A islandesa fez várias vezes um cover de uma canção dela, Gotham Lullaby, e, inclusive, se apresentou em um tributo para a própria, em 2005.

 

Anteriormente, já tinha incluído a faixa no setlist do concerto no Union Chapel (1999); em algumas datas da Vespertine Tour (como em 11/09), no festival Coachella (2002) e uma única vez no show Greatest Hits (2003). Um lançamento oficial do cover de 1999, foi feito em 2012 no álbum: Monk Mix : Remixes & Interpretations Of Music By Meredith Monk.

Em 2005, durante entrevista ao The Globe and Mail, Meredith falou sobre uma possível colaboração: "Björk já tinha apresentado essa faixa com o Brodsky Quartet, em 1999. Um dos meus alunos me mostrou uma gravação amadora em MP3. Achei muito interessante e enviei um cartão para ela. Nos conhecemos seis meses depois e nos demos maravilhosamente bem. Nossas respectivas criações soam e se manifestam de maneira diferente, mas tem algo em comum na abordagem. Vamos ver para que lugar isso nos leva. Ela tem um espírito adorável".

Em março de 2011, Monk contou ao site Sfgate: "Finalmente estou fazendo um projeto com a Björk, que estamos tentando realizar há cerca de cinco anos". Meses depois, respondeu ao comentário de um fã no Facebook: "Estamos fazendo um álbum de duetos. Não sei quando será lançado, mas fique ligado!".

Fotos: Divulgação. 

Atualização (23/03/22): 

Meredith Monk volta a falar sobre colaboração com Björk: 

"Escrevemos um monte de duetos juntas. Ainda tenho os arquivos, e continuamos querendo completá-los. Eu ia voar para a Islândia, e aí depois ela iria me ver no Novo México, mas nunca encontramos tempo (na agenda) para isso. Mas ainda estamos em contato. Tenho muito amor por ela". 

Foi durante seus dias tocando bateria em uma banda punk islandesa que Björk, então com 16 anos, ouviu pela primeira vez Dolmen Music, um álbum que ela diz ter lhe transformado totalmente. O disco foi lançado por Meredith Monk, em 1981. 

Monk relembrou um dos encontros com Björk, que aconteceu na Counterstream Radio no programa Radical Connections, em março de 2007. O bate-papo teve a condução da pianista Sarah Cahill: "Eu me senti como uma mãe na estética para Björk", disse com uma risada. "O que ela faz é tão diferente do que eu faço, mas temos muito em comum. No final daquele programa de rádio, ficamos em lágrimas, compartilhando nossas visões sobre música".  

Essas declarações foram concedidas ao The Guardian, em março de 2022. 

Postagens mais visitadas deste blog

Björk volta ao Brasil para show no Primavera Sound

Por essa a gente não esperava... Após 15 anos, Björk volta ao Brasil para show no festival Primavera Sound . A apresentação acontece no dia 5 de novembro , em São Paulo ! Atenção: Os ingressos estão à venda ( e já acabando ) em: https://www.eventim.com.br/primaverasoundsp Estamos esperando por esse momento desde 2007 ! Björk se apresentará no Brasil com a turnê Orkestral . No repertório, estão canções de várias fases da carreira. Durante a série de lives na Islândia, a artista revisitou muitas músicas em diferentes performances. No concerto de 2022, algumas delas devem aparecer no setlist. Conheça as histórias das faixas clicando   AQUI . Na estrada, Björk estará ao lado do condutor Bjarni Frímann Bjarnason .  "Para mim, o show "Orkestral" é como um dia de feriado. Eu apenas chego com um vestido nas costas e apareço, canto e vou para casa. Torna-se mais sobre mim, a cantora. Eu trabalho com as orquestras locais de cada lugar, então sou mais como uma convidada ou uma vi

A participação de Björk em The Northman

Que saudades de ver esse rostinho lindo!  Björk esteve na estreia de "The Northman", em Reykjavík.  Nas redes sociais, a artista escreveu: "Estou muito orgulhosa de fazer parte disso. Gostaria de agradecer a Robert Eggers , Sjón e Robin Carolan por convidarem Dóa (o nome artístico da filha dela, que é uma das atrizes da grande produção) e eu para essa aventura. Estou mais do que grata!!! E obrigada a James Merry por me apoiar e Alexander (Skarsgård) por ser um co-ator gracioso".  "Durante sua cena, eu podia ver que Björk tinha uma lua cheia gigantesca atrás dela, bem atrás de sua cabeça. Aquilo pareceu perfeito para aquela cena, seu personagem e como ela estava vestida. Foi absolutamente fascinante. Ela é tão incrível!". pic.twitter.com/e9dPgaf2Ec — Björk BR (@sitebjorkbrasil) April 20, 2022 "É bom finalmente ver as raízes de alguém tratadas com imaginação, inteligência e qualidade. Eu AMEI as passagens com Mjötviður Mær . A arqueologia moder

Ísadora Bjarkardóttir Barney fala sobre sua carreira como artista e o apoio da mãe Björk

Doa , também conhecida como d0lgur , é uma estudante, funcionária de uma loja de discos ( Smekkleysa ), cineasta, cantora e agora atriz. Em abril, estreia nas telonas no novo filme de Robert Eggers , The Northman . Ela interpreta Melkorka , uma garota irlandesa mantida em cativeiro em uma fazenda islandesa, que também gosta de cantar.  O nome de batismo da jovem de 19 anos, é Ísadora Bjarkardóttir Barney .  "Bjarkardóttir" reflete a tradição islandesa de usar nomes patronímicos ou matronímicos . Ou seja, o segundo nome de uma criança é baseado no primeiro nome de sua mãe ou pai. Assim, "Bjarkardóttir" significa o "dóttir" – filha – de "Bjarkar". Isto é, de Björk . E Barney vem do pai Matthew Barney, que nasceu nos Estados Unidos.  Na nova edição da revista THE FACE , a artista falou sobre sua carreira. Ela vive entre Reykjavík e Nova York , onde nasceu em outubro de 2002. Confira os trechos em que citou a mãe, a nossa Björk.  " Sjón e min

Saiba tudo sobre as visitas de Björk ao Brasil

Foto: Divulgação (2007) As apresentações mais recentes de Björk no Brasil, aconteceram em 2007. Em novembro de 2022, ela volta ao nosso país no festival Primavera Sound . Relembre todas as passagens da islandesa por terras brasileiras, nesta matéria detalhada e cheia de curiosidades! Foto: Reprodução (1987) Antes de vir nos visitar em turnê, a cantora foi capa de algumas revistas brasileiras sobre música, incluindo a extinta  Bizz,  edição de Dezembro de 1989 . A divulgação do trabalho dela por aqui, começou antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo, ainda com o  Sugarcubes . 1996 - Post Tour: Arquivo: João Paulo Corrêa SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.  Em outubro de 1996, Björk finalment

Björk está no elenco de 'The Northman’, filme de Robert Eggers

Em outubro de 2019 , o site IndieWire garantiu que Björk estava em negociações avançadas para participar de uma nova produção do diretor Robert Eggers , responsável pelos filmes "A Bruxa" (2015) e "O Farol" (2019).  O longa, intitulado de The Northman , foi descrito como uma "saga de vingança viking", na qual um príncipe nórdico (Alexander Skarsgård) procura por justiça após seu pai ser assassinado. A história é ambientada na Islândia , na virada do Século X.  Foto: Santiago Felipe. O roteiro de Eggers foi escrito em parceria com Sjón , um grande amigo e colaborador da islandesa ( Isobel , Jóga , Bachelorette , Selmasongs , Oceania , Wanderlust , The Comet Song , Cosmogony , Virus , Solstice ). Nicole Kidman , Alexander Skarsgård , Anya Taylor-Joy , Bill Skarsgård , Kate Dickie , Ralph Ineson , Claes Bang , Ethan Hawke  e Willem Dafoe também fazem parte do elenco.  A trilha sonora é de Robin Carolan e Vessel .  Foto: Reprodução.  O Belfast Telegraph ,