Pular para o conteúdo principal

Lido Pimienta lança versão de Declare Independence

Lido Pimienta é uma artista colombo-canadense. Nascida em Barranquilla (Colômbia), atualmente mora em Toronto.

Celebrando o Mês do Orgulho LGBTQIA+, ela produziu uma nova versão para Declare Independence, faixa do Volta, disco que Björk lançou em 2007. O cover é parte do projeto "Claim Your Space" do Spotify Singles.

"Cantei a letra maravilhosa em inglês e acrescentei novas palavras em espanhol, que refletem a atual situação na Colômbia, um sentimento geral em defesa da liberdade dos povos colonizados, do rio ao mar", disse em post nas redes sociais.


Em comunicado para a imprensa, explicou:

"Escolhi essa música principalmente por causa da letra: "Agite a sua bandeira, levante-a, mais alto" e "não deixe que façam isso com você". Eu ouvi essa música ao vivo e adorei como todos os imigrantes na plateia estavam agitando suas bandeiras. O sentimento de ORGULHO que então todos nós sentimos.

Eu queria trazer isso com esta versão, honrando minhas raízes caribenhas e o campo do orgulho, mas o mais importante, como uma mensagem de amor e revolução em união e aceitação.

Björk tem sido uma inspiração para mim, não apenas como cantora, mas como compositora e produtora, então essa música também é um agradecimento a ela por encorajar mulheres como eu a não terem medo de criar seu próprio universo sonoro". 

Fotos: Ada Navarro; Vidar Logi. 


A história de Declare Independence:

"Toda vez que essa música começa, eu começo a rir. Acredito que muitas pessoas não aceitam ela assim, o que é até certo. Pareço ter um senso de humor "distorcido" que só eu e meus três amigos podemos entender. Eu queria que essa letra também fosse como um conselho para, por exemplo, um amigo que está saindo com alguém terrível: "Declare independência! Não deixe que façam isso com você" [risos]. Não é sobre política partidária. 

E por outro lado é possível levar esse conceito para algo completamente diferente. Nós sempre ouvimos nos jornais da Islândia, que fomos uma colônia dinamarquesa por cerca de 600 anos, e conseguimos a independência há apenas meio século. E ainda há duas outras colônias deles, que estão tentando se libertar sem sucesso. É meio como um hino que escrevi para a Groenlândia e as Ilhas Faroe". 

"Volta" foi acima de tudo um disco com grande foco em incentivar o combate às injustiças. Na China, Björk interpretou a canção pedindo a independência do Tibete, o que desagradou muito as autoridades locais, que baniram a cantora de se apresentar por lá, o que não mudou até hoje: "No final da turnê, eu não aguentava mais tocar Declare Independence todas as noites! Queria encontrar soluções. Talvez eu pensasse que o bem fosse vencer no final, se apenas persistíssemos, mas o clima não está tão bom agora. É a hora de irmos para uma montanha segurando uma bandeira e uma trombeta insistindo e exigindo justiça. Tudo isso é sobre opressores, homens e mulheres e países. Não está tão longe de "R.E.S.P.E.C.T". da Aretha

A ideia dos trajes militares do videoclipe foi do (diretor) Michel Gondry. Na verdade, a intenção não era nem que fosse algo militar, mas apenas tentar fazer com que todos estivessem iguais, com uma roupa neutra. Fiquei bastante intrigada sobre usar os looks coloridos do show no vídeo, que são muito alegres. Para Michel, por causa da coisa toda das cordas no cenário, os figurinos não poderiam gritar por atenção. Então pensamos que isso poderia ajudar a misturar todos como imagem de fundo [camuflagem]. 

Para mim, era importante que não houvesse uma hierarquia [com o uso das cordas dentro da narrativa]. Eu nunca me vejo em uma posição de controladora, ou como alguém com autoridade, mesmo que no palco. Eu queria que os outros artistas me dessem tanta energia quanto eu pudesse dar a eles. Acho que estávamos mais animados com as bandeiras que usávamos em nossos braços. Uma é da Groenlândia e a outra das Ilhas Faroe. No meu país, se você for a um bar e perguntar sobre isso, verá que as pessoas ficam de repente muito agressivas, já que apoiam a independência desses territórios". 

Fontes: XFM, Telérama, Filter, HARP, Under The Radar Magazine, Pitchfork. 

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça as histórias de todas as canções do álbum "Utopia"

Lançado em 24 de novembro de 2017 , o álbum Utopia é um dos trabalhos mais incríveis da carreira de Björk .  Reunimos em uma matéria especial detalhes de todas as faixas do projeto. Confira:  Foto:  Jesse Kanda (2017).  1. Arisen My Senses: "A primeira faixa que escrevi para o álbum Utopia foi justamente a de abertura. A melodia é como uma constelação no céu. É quase uma rebelião otimista contra modulações com narrativa "normais". Não há apenas uma. Tem umas cinco e eu realmente amei isso. Adicionei um arranjo de harpa junto de um texto, e enviei essa música de presente para a Arca . Ela mal podia acreditar, pois sentiu que bati de algum jeito em seu inconsciente! Criei a partir de um trecho de uma mixtape no SoundCloud dela, um trabalho feito uns três anos antes. Vi aquilo como o seu material mais feliz. Nem comentei com ela, apenas reeditei e mandei. Desta vez, estávamos fazendo juntas, de igual para igual, o oposto de Vulnicura . E esse foi o ponto de partida par

O dia em que Björk fez parte do Pierrot Lunaire

Foto: François Gailland (1996) Em 04 agosto de 1996 , Björk se apresentou no Verbier Festival , série de concertos de canções clássicas na Suíça . Na ocasião, a artista participou de uma representação única do Pierrot Lunaire , obra marcante e de destaque na história da música. A composição é de 1912, e foi feita por Arnold Schönberg baseada no ciclo de poemas homônimo escrito por Albert Giraud . Trata-se de um espetáculo com poemas interpretados a partir de técnicas vocais únicas, em uma espécie de idioma específico na ópera, o Sprechgesang . Termo alemão, cuja a tradução literal é a mistura de canto e fala , durante uma declamação.  Em 21 textos, o trabalho é dividido em três partes. Na primeira, Pierrot, "intoxicado" pela lua, fantasia sobre amor, sexo e religião. Na segunda, o personagem encontra tudo isso em um mundo cheio de pesadelos e blasfêmia. Já na terceira, é assombrado por pensamentos nostálgicos de seu passado. Os instrumentos são organizados de mane

Sindri Eldon explica antigo comentário sobre a mãe Björk

Foto: Divulgação/Reprodução.  O músico Sindri Eldon , que é filho de Björk , respondeu as críticas de uma antiga entrevista na qual afirmou ser um compositor melhor do que sua mãe.  Na ocasião, ele disse ao Reykjavík Grapevine : "Minha principal declaração será provar a todos o que secretamente sei há muito tempo: que sou melhor compositor e letrista do que 90% dos músicos islandeses, inclusive minha mãe".  A declaração ressurgiu no Twitter na última semana, e foi questionada por parte do público que considerou o comentário uma falta de respeito com a artista. Na mesma rede social, Sindri explicou:  "Ok. Primeiramente, acho que deve ser dito que isso é de cerca de 15 anos atrás. Eu era um idiota naquela época, bebia muito e estava em um relacionamento tóxico. Tinha um problema enorme e realmente não sabia como lidar com isso. Essa entrevista foi feita por e-mail por um cara chamado Bob Cluness que era meu amigo, então as respostas deveriam ser irônicas e engraçadas. Eu

O processo criativo do show Björk Orkestral

"Quando comecei a planejá-lo, seria um dos eventos mais espontâneos que já fiz. Acabou sendo o oposto. Mas para mim, pessoalmente, isso foi uma espécie de presente, pois significava que eu poderia terminar calmamente o novo álbum na minha própria casa.  Em parte, a motivação desses shows também foi uma reação aos primeiros lockdowns por causa da COVID. Estávamos todos presos em nossas casas. Como poderíamos aproveitar ao máximo o que temos? Bom, nós, como Islandeses, somos muito sortudos, porque a situação da pandemia aqui tem sido consideravelmente melhor em comparação com a maioria dos outros países que tiveram que lidar com essa doença.  E claro, para a minha alegria, temos aqui na Islândia alguns dos melhores instrumentistas do mundo. Esse foi talvez o principal estímulo para o show. Meu maior estresse foi que meio que matei a espontaneidade dessas apresentações. O que me deixou muito grata foi o fato de ter sido espontâneo desde o início. Com os adiamentos dos concertos, con

25 anos de Telegram, a extensão de Björk para o álbum Post

Telegram , a coleção baseada nas canções de Post , foi lançada no final de novembro de 1996: "Acredito que os remixes não são respeitados o suficiente. Muitos deles foram incrivelmente criativos ao longo dos anos. Para mim, é como um dueto entre a pessoa com quem estou trabalhando e eu mesma", disse Björk em entrevista.    Boa parte dos remixes de Telegram , já haviam aparecido como Lado B em alguns dos singles do disco original. Apenas The Modern Things e It's Oh So Quiet não ganharam novas roupagens.  Björk escolheu o time de parceiros, incluindo Brodsky Quartet , Dillinja , Dobie , Graham Massey , Mark Bell , Outkast , Rodney P , Mika Vainio e Eumir Deodato . Todos tiveram total liberdade para entregarem o material da forma que desejavam. Além disso, a islandesa recriou You've Been Flirting Again.  "Quando fiz o Debut aprendi muito e conheci muitas pessoas criativas. E algumas delas foram convidadas para remixar as canções do álbum, então muitas semen