Pular para o conteúdo principal

Em nova entrevista, Björk confirma novo álbum "Utopia" para novembro


Em nova entrevista à BBC Radio 2Björk confirmou que seu novo álbum será lançado em novembro! O disco que provavelmente irá se chamar "Utopia", segundo a cantora, teve muitos dos áudios das gravações de flautas alterados em estúdio. A islandesa ainda está mixando algumas canções a todo instante e as tem enviado para seus engenheiros de som.

Björk comentou que está ensaiando com uma orquestra islandesa composta por 12 mulheres flautistas para seus novos shows, e talvez ela própria também toque flauta, instrumento que foi um dos primeiros que aprendeu em sua vida.

Em outros pontos da entrevista, a artista voltar a comentar sobre a diferença entre o "Vulnicura" e o "Utopia", além de falar de seu trabalho com Arca e reforçar seu amor por Rihanna a chamando de "My Rihanna" <3, revelando que gosta muito de tocar suas músicas nos DJsets, que ela ainda brincou dizendo ao apresentador: "Eu uso o Garage Band. Não conte a ninguém", hahaha.

Quanto ao videoclipe de "The Gate", que estreou hoje, uma curiosidade revelada pelo site THE LINE OF BEST FIT:

Os personagens que aparecem ao lado de Björk no vídeo não são puro CGI. Apesar de parecerem feitos com a magia do computador, isso é apenas parte da verdade, pois a equipe da cantora usou a tecnologia para substituir a pele destas pessoas pelos efeitos que pudemos observar ao longo da história do clipe.

"O design do prisma foi inspirado em parte por asas de serafins, cristais fotônicos, origami e esculturas de vidro e algumas conversas com Björk e o diretor criativo James Merry. Era importante para mim que o prisma parecesse com uma luz pura aproveitada em uma configuração agitada de máquinas robóticas complexas. (...) A cena que, de longe, foi a mais complexa que criamos (...) é uma para a qual desenvolvemos um sistema para simular o movimento das asas do vestido de Björk. (...) O resultado final se tornou esse balé de ficção científica. Pessoalmente, também fui inspirado pela minha cena de filme favorita de todos os tempos - o vestido de dança preto do filme "A Lenda" (1985) de Ridley Scott. (...) Criamos uma configuração de iluminação com um tanque de água para lançar raios de ondulações refrativas através da imagem de Björk nesta cena aqui. O efeito que se pode ver em sua pele é na verdade controlado manualmente para dar a ilusão de uma sobreposição de um visor cintilante, que serve como complemento para a maquiagem brilhante dela. (...) Conseguir com que os corpos dos personagens ficassem entrelaçados para a grande cena final foi um desafio". Andrew Thomas Huang, diretor do vídeo - via Instagram.
Descubra de onde Björk tirou o som usado no início do vídeo de "The Gate" (Minuto 3:30).


Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição Björk Digital em cartaz no Rio de Janeiro

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil aconteceram há mais de 10 anos, entre 26 e 31 de Outubro de 2007. Relembre essas e outras passagens da islandesa, que já disse ter vivido momentos mágicos em nosso país.
Mas antes de tudo, uma curiosidade: Björk já foi capa da famosa/extinta revista brasileira Bizz, edição de Dezembro de 1989, o que comprova a divulgação do trabalho da artista no Brasil antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo.
1996 - Post Tour:
SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk vinha pela primeira vez ao Brasil com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.



Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser m…

Björk já quase saiu em turnê com o Radiohead

Em 1998, Björk e o Radiohead estavam fazendo shows pelo mundo divulgando Homogenic e Ok Computer, respectivamente. Hoje, ambos os álbuns são clássicos na discografia desses artistas. Em abril daquele mesmo ano, eles iriam unir forças no palco em quatro apresentações em arenas na América do Norte. Os ingressos já tinham sido colocados à venda, inclusive, com uma data marcada no lendário Radio City Music Hall, em Nova York. 
Mas dois meses antes da primeira performance, a participação da islandesa na turnê do grupo foi cancelada. Em comunicado veiculado na revista NME, com o posicionamento dela e da banda, o motivo foi revelado: "Os cenários dos shows de cada um deles são mais do que elaborados, com muitas configurações técnicas no som. Isso exigiria que o público esperasse bastante tempo entre os sets", explicou a assessoria.



Ainda de acordo com a nota, a demora seria de aproximadamente uma hora, algo que tanto o Radiohead quanto a Björk achavam inaceitável para seus fãs. Um…