Pular para o conteúdo principal

Novo álbum provavelmente se chamará "Utopia"


Björk participou de uma transmissão ao vivo na página do NOWNESS no Facebook. Mesmo querendo manter o mistério sobre o tracklist, a cantora respondeu algumas perguntas sobre seu novo álbum, inclusive revelando que o projeto deve mesmo se chamar "Utopia". 

"Eu recebi milhares de sugestões de nomes, mas eu acho que vai se chamar "Utopia". Não consigo pensar em algo melhor. Bom, se eu mudar de ideia 5 minutos antes do álbum ir para a fabricação, posso modificá-lo, mas eu até que gosto do fato de isso ser um clichê, tendo até uma pegada meio "fascista" do tipo "eu quero que o mundo seja assim", pois se trata de uma proposta de como podemos viver no futuro com a natureza e a tecnologia, isso do jeito mais otimista possível. Nós temos o Trump, o Brexit, problemas  na Islândia, enfim, eu acho que já existia uma urgência e uma necessidade em criar um modelo utópico para vivermos em nossas vidas, e acho que chegou o momento".

Segundo a artista, a mixagem do álbum foi finalizada na quinta-feira (14/09). A cantora ainda lembrou que apesar do novo trabalho ter sido co-produzido por Arca, o tema abordado em "Utopia" é a visão dela, e todo o conteúdo apresentado vem de suas impressões.

Outros detalhes foram comentados: 

- Os arranjos das novas músicas foram feitos com a ajuda de uma orquestra de 12 pessoas.
- Björk sente que voltou às suas raízes com "Utopia", pois a flauta foi seu primeiro instrumento musical. Ela ainda está pensando em uma boa forma de levá-lo aos palcos.
- Esferas e prismas são dois temas muito importantes neste álbum. Arca compôs uma canção chamada "Prism".
- Guan Yin, a deusa chinesa da salvação, serviu de influência para o disco, inclusive para o vídeo de "The Gate", que estreará na segunda-feira também no NOWNESS, logo após a transmissão exclusiva em Londres, em que ela interpretará uma espécie de novo personagem. Confira um vídeo da confecção do vestido utilizado na gravação, que foi criado por Alessandro Michele e levou aproximadamente 550 horas para ficar pronto, sendo 320 apenas para o bordado. Björk admitiu que tinha receio em trabalhar com Michele: “Eu não me dou muito bem com a postura de grandes corporações, e não gosto tanto delas".

Ative as legendas e assista ao vídeo da entrevista completa clicando AQUI.

Comente com outros fãs:
Facebook / Twitter / Grupo

Postagens mais visitadas deste blog

Björk e Milton Nascimento - A Travessia para um grande encontro

Poucas horas antes do show no Metropolitan, no Rio de Janeiro, em 20 de agosto de 1998 (saiba mais AQUI), Björk conversou com a imprensa brasileira, e esteve junto de Milton Nascimento. Ela foi uma das atrações principais do festival Close-Up Planet:


Ao jornal Extra, ela contou que é fã não só de Elis, mas também do Sepultura. Falando de Milton Nascimento, revelou: "Cheguei no sábado (acompanhada de uma amiga de infância) e fiquei bêbada com algumas pessoas ouvindo as músicas dele". Segundo a publicação, a cantora teria cogitado a ideia de ir a apresentação "Tambores de Minas" da lenda brasileira, no Canecão. Ela admitiu que do line-up do festival, só conhecia mesmo as atrações internacionais: "Tenho que dizer que sou ignorante em relação à música brasileira, e isso me envergonha". Também deixou claro que, como de costume, não incluiria nada do Sugarcubes no setlist: "São meus amigos, crescemos juntos. Não posso tocar uma música da banda sem eles&qu…

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil aconteceram há mais de 10 anos, entre 26 e 31 de Outubro de 2007. Relembre essas e outras passagens da islandesa, que já disse ter vivido momentos mágicos em nosso país.
Mas antes de tudo, uma curiosidade: Björk já foi capa da famosa/extinta revista brasileira Bizz, edição de Dezembro de 1989, o que comprova a divulgação do trabalho da artista no Brasil antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo.
1996 - Post Tour:
SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk vinha pela primeira vez ao Brasil com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.




Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser m…

"The Juniper Tree", filme estrelado por Björk, será relançado

The Juniper Tree é um filme islandês com um pequeno elenco de cinco atores, incluindo Björk quando ela ainda fazia parte do Sugarcubes. Foi escrito, produzido e dirigido por Nietzchka Keene baseado no conto de mesmo nome dos Irmãos Grimm. Rodado no verão de 1986 com um orçamento extraordinariamente baixo, o filme só foi lançado em 1990 dentro do Sundance Film Festival. Filmado em preto e branco na paisagem de cinzas vulcânicas da Islândia para destacar seu conteúdo dramático, além de um recurso para ambientar a história como parte da Idade Média, este filme se tornou popular entre os admiradores de Björk depois que ela ganhou fama internacional. 
A boa notícia é que a obra foi restaurada em 4K por órgãos especializados no arquivamento e preservação de materiais do cinema, televisão, rádio e teatro; Wisconsin Center for Film & Theatre Research, com financiamento fornecido pela The Film Foundation e pela George Lucas Family Foundation
Os direitos do longa foram adquiridos pela dis…