Pular para o conteúdo principal

Novo álbum provavelmente se chamará "Utopia"


Björk participou de uma transmissão ao vivo na página do NOWNESS no Facebook. Mesmo querendo manter o mistério sobre o tracklist, a cantora respondeu algumas perguntas sobre seu novo álbum, inclusive revelando que o projeto deve mesmo se chamar "Utopia". 

"Eu recebi milhares de sugestões de nomes, mas eu acho que vai se chamar "Utopia". Não consigo pensar em algo melhor. Bom, se eu mudar de ideia 5 minutos antes do álbum ir para a fabricação, posso modificá-lo, mas eu até que gosto do fato de isso ser um clichê, tendo até uma pegada meio "fascista" do tipo "eu quero que o mundo seja assim", pois se trata de uma proposta de como podemos viver no futuro com a natureza e a tecnologia, isso do jeito mais otimista possível. Nós temos o Trump, o Brexit, problemas  na Islândia, enfim, eu acho que já existia uma urgência e uma necessidade em criar um modelo utópico para vivermos em nossas vidas, e acho que chegou o momento".

Segundo a artista, a mixagem do álbum foi finalizada na quinta-feira (14/09). A cantora ainda lembrou que apesar do novo trabalho ter sido co-produzido por Arca, o tema abordado em "Utopia" é a visão dela, e todo o conteúdo apresentado vem de suas impressões.

Outros detalhes foram comentados: 

- Os arranjos das novas músicas foram feitos com a ajuda de uma orquestra de 12 pessoas.
- Björk sente que voltou às suas raízes com "Utopia", pois a flauta foi seu primeiro instrumento musical. Ela ainda está pensando em uma boa forma de levá-lo aos palcos.
- Esferas e prismas são dois temas muito importantes neste álbum. Arca compôs uma canção chamada "Prism".
- Guan Yin,  a deusa chinesa da salvação, serviu de influência para o disco, inclusive para o vídeo de "The Gate", que estreará na segunda-feira também no NOWNESS, logo após a transmissão exclusiva em Londres, em que ela interpretará uma espécie de novo personagem. Confira um vídeo da confecção do vestido utilizado na gravação, que foi criado por Alessandro Michele e levou aproximadamente 550 horas para ficar pronto, sendo 320 apenas para o bordado. Björk admitiu que tinha receio em trabalhar com Michele: 
“Eu não me dou muito bem com a postura de grandes corporações, e não gosto tanto delas. Mas algo que gosto muito é estar em um quarto com mentes criativas e fazer algo juntos.”
Ative as legendas e assista ao vídeo da entrevista completa:

 

Comente com outros fãs:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Museu da Imagem e do Som confirma a exposição "Björk Digital" em São Paulo

Inédita no Brasil, a exposição Björk Digital celebra o trabalho e o universo criativo da artista islandesa. Dividida em sessões compostas por experiências de realidade virtual e elementos audiovisuais imersivos, a mostra chega ao MIS em junho, depois de passar por cidades como Tóquio, Sidney e Londres.
Trazida em parceria com a produtora Dueto, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cidadania e Vivara, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O MIS é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Detalhes sobre datas e ingressos ainda não foram revelados.

A informação já havia sido adiantada em julho do ano passado na coluna de Lauro Jardim no Globo. A Dueto, produtora de Monique Gardenberg, foi a responsável por dois dos três festivais que trouxeram nossa amada ao Brasil. Aliás, em 2007, quando esteve no país com o show Volta, a cantora também compareceu à pré-estreia do filme O Passado, do diretor Hector Babenco, como convidada de M…

Cineasta argentina Lucrecia Martel, dirigirá novo show de Björk

Cornucopia, o novo show de Björk, estreia em maio no The Shed, em Nova Iorque! Inclusive, esse lugar que receberá a mini residência promete ser um dos espaços culturais mais importantes da cidade, principalmente por ter a capacidade de se transformar fisicamente ao criar ambientes dinâmicos de acordo com as visões dos artistas que ali aparecem nos próximos anos. 
A temporada de oito concertos ganhou novos detalhes muito interessantes. A cineasta argentina Lucrecia Martel se juntou ao time de colaboradores da islandesa e dirigirá o espetáculo. 


Internacionalmente reconhecida como uma das mais importantes peças do cinema latino-americano, Martel obteve sucesso de crítica em seu trabalho, incluindo Zama, seu mais recente filme lançado em 2017. Entre suas obras, destacam-se também: La Ciénaga (2001), A Menina Santa (2004) e A Mulher sem Cabeça (2008). Confira mais detalhes clicando aqui
Lucrecia e a Rei Cine, produtora argentina que a representa, emitiram uma declaração à imprensa desta…

Edital do CCBB indica que a exposição Björk Digital virá ao Brasil

E não é que era verdade mesmo? Em julho, em sua coluna no O Globo, o jornalista Lauro Jardim comentou em primeira mão sobre as grandes chances da Björk Digital passar pelo Brasil. 
Na época, as negociações já estariam bem avançadas e na fase de captação de recursos. Ele citou a produtora Dueto, de Monique Gardenberg, como uma das interessadas em trazer a mostra ao país. Em 2007; a diretora, produtora cultural e cineasta brasileira convidou junto do diretor Hector Babenco a própria Björk para a pré-estreia do filme "O Passado", quando a cantora esteve no Brasil com a turnê do álbum Volta. As duas já se conheciam das outras passagens da artista por aqui, em 1996 e 1998 com os shows de Post e Homogenic. A Dueto Produções foi, inclusive, a responsável por dois dos três festivais que a trouxeram ao Brasil.
No entanto, na tarde de hoje (28/11), fomos surpreendidos com a possível indicação de que tudo realmente vai acontecer, mas com a ajuda também de outras pessoas! O projeto é c…