Pular para o conteúdo principal

Björk pede para que fãs a perdoem por não fazer mais longas turnês


Para a edição de novembro da revista australiana 'The Big Issue', Björk falou novamente sobre a Islândia, seu novo álbum "Utopia", flautas e longas turnês, além de revelar um trecho da nova música "Sue Me".

"Eu não sei como é na Austrália, mas em grandes cidades existem muitos problemas no encontro de gerações diferentes. Na Islândia, nós estamos meio que como era no século XIX. Nós somos como uma vila. Você vai a um show e encontra cinco dos seus melhores amigos e o filho da sua irmã grudados na grade em frente ao palco. Se você está envolvido em algo por lá, não importa se é um baterista ou vendedor de mapas ou de flores, enfim, a idade não importa muito. Você apenas se divertirá com pessoas que estão interessadas na mesma coisa que você. Eu acho que a Islândia tem meio que essa vibe de vila mesmo". 

Mas a Islândia é muito longe da Austrália e sair em turnê com uma orquestra de flautas de 12 peças não é algo fácil. Björk não se apresenta por lá desde 2008 (e aqui, mana, que já faz mais de 10 anos?). Björk diz saber que isso deixa seus fãs desapontados, mas depois de longos anos fazendo shows pelo mundo, ela acha que já pagou sua dívida com turnês. Então espere que as próximas sejam cada vez menores, como já noticiamos há algum tempo aqui no site:

"Eu estou em turnê desde que eu tinha, mais ou menos, 14 anos. E por todo esse tempo eu fiquei, literalmente, sem parar na estrada. Eu espero que meus fãs possam me perdoar, mas eu ainda estou tentando dar ao máximo tudo aquilo que posso, e acho que, agora, neste momento da minha vida, eu posso lhes dar ainda mais ficando em casa e gravando álbuns".

A islandesa já comentou que a realidade virtual pode ajudá-la a sanar essa saudade de seus admiradores, que não a veem em seus países há muitos anos. Acreditamos que, possivelmente, ela tenha preferido se apresentar em lugares que ainda não havia conhecido, como vimos, recentemente, com os shows acústicos na Geórgia, pois dão a chance de fãs que não foram agraciados nem nos tempos do Sugarcubes ou do sucesso comercial da grande turnê de 'Post', assistirem a um show ao vivo completo.

"Isso é muito animador, né? Eu acho que os VRs serão algo que é sobre nós no momento atual neste mundo global. Acho que estamos todos mudando juntos, vindo com receitas utópicas sobre o que nós queremos ser, sabe? Vamos seguir em frente!".

Saiba mais: 

- Nova entrevista irá ao ar em 09/11 em podcast da rádio BBC e Björk aproveitará a ocasião para compartilhar uma mixtape com músicas que tem inspirado o seu trabalho.

Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição Björk Digital em cartaz no Rio de Janeiro

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil aconteceram há mais de 10 anos, entre 26 e 31 de Outubro de 2007. Relembre essas e outras passagens da islandesa, que já disse ter vivido momentos mágicos em nosso país.
Mas antes de tudo, uma curiosidade: Björk já foi capa da famosa/extinta revista brasileira Bizz, edição de Dezembro de 1989, o que comprova a divulgação do trabalho da artista no Brasil antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo.
1996 - Post Tour:
SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk vinha pela primeira vez ao Brasil com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.



Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser m…

Björk já quase saiu em turnê com o Radiohead

Em 1998, Björk e o Radiohead estavam fazendo shows pelo mundo divulgando Homogenic e Ok Computer, respectivamente. Hoje, ambos os álbuns são clássicos na discografia desses artistas. Em abril daquele mesmo ano, eles iriam unir forças no palco em quatro apresentações em arenas na América do Norte. Os ingressos já tinham sido colocados à venda, inclusive, com uma data marcada no lendário Radio City Music Hall, em Nova York. 
Mas dois meses antes da primeira performance, a participação da islandesa na turnê do grupo foi cancelada. Em comunicado veiculado na revista NME, com o posicionamento dela e da banda, o motivo foi revelado: "Os cenários dos shows de cada um deles são mais do que elaborados, com muitas configurações técnicas no som. Isso exigiria que o público esperasse bastante tempo entre os sets", explicou a assessoria.



Ainda de acordo com a nota, a demora seria de aproximadamente uma hora, algo que tanto o Radiohead quanto a Björk achavam inaceitável para seus fãs. Um…