Pular para o conteúdo principal

Museu da Imagem e do Som confirma a exposição "Björk Digital" em São Paulo


Inédita no Brasil, a exposição Björk Digital celebra o trabalho e o universo criativo da artista islandesa. Dividida em sessões compostas por experiências em realidade virtual e elementos audiovisuais imersivos, a mostra ficará em cartaz no MIS entre 18* de junho e 18 de agosto, depois de passar por cidades como Tóquio, Sidney e Londres e receber mais de 400 mil visitantes.

A abertura para o público geral será no dia 19/06*.

Trazida em parceria com a produtora Dueto, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cidadania e Vivara, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O MIS é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.



Na programação estão inclusos: 6 vídeos de Vulnicura, sendo 5 em realidade virtual (StonemilkerMouth Mantra, Quicksand, Family e Notget), e uma instalação especial (Black Lake), além da sessão de videoclipes de Björk remasterizados em alta definição (exibidos em sala de cinema) e uma área dedicada ao projeto educativo de Biophilia. Confira mais detalhes AQUI.

venda de ingressos antecipados para a primeira semana da exposição (19 a 23 de junho) está esgotada, mas não se preocupe! Os tickets das datas restantes já estão disponíveis no site e aplicativo da Ingresso Rápido. Os valores são de R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada).

Às terças, as entradas para a exposição são gratuitas e podem ser retiradas na recepção do MIS! Saiba mais AQUI.

Horários: Terças a sábados, das 10h às 20h; domingos e feriados, das 10h às 19h. 
Permanência de até duas horas após a última entrada.
Classificação: 14 anos

Os locais que serão utilizados da estrutura do MIS são o Espaço Redondo e os dois andares do Espaço Expositivo. 


Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo-SP | (11) 2117 4777 |
www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18 (com carimbo da Recepção do MIS)

Informações importantes:

Como a exposição utiliza óculos de realidade virtual, as seguintes regras e recomendações devem ser seguidas:

>> limite máximo de 25 pessoas a cada 20 minutos;

>> por medida de segurança, o acesso livre à exposição apenas é permitido a partir de 14 anos. Isso se deve às diretrizes dos fabricantes do equipamento de Realidade Virtual (RV), já que pesquisas realizadas até o momento indicam que menores de 14 anos estão em período crítico de desenvolvimento visual e a utilização de tais equipamentos pode gerar prejuízos; menores de 14 anos somente poderão acessar a exposição acompanhados dos pais ou responsáveis e mediante autorização escrita destes, uma vez cientes dos riscos;

>> sensações de náusea e desconforto não são incomuns, por isso grávidas, cardíacos, pessoas com anomalia de visão binocular, labirintite, epiléticas ou com doenças similares devem evitar a experiência.

>> Duração estimada da experiência: 80 minutos.

>> É proibido fotografar ou filmar no espaço expositivo.

>> O ingresso é válido somente para o horário selecionado no ato da compra. O visitante deve chegar 15 minutos antes para realizar o check-in. Excedido esse horário, sob nenhuma hipótese será possível ingressar na exposição, e não haverá reembolso.

>> Não é permitido acessar a exposição com bolsa ou mochila, que deve permanecer no guarda-volumes (gratuito).

>> Não é permitida a troca de ingresso para outra data ou sessão. Não há reembolso.

#BjörkDigital #BjörkNoMIS

Confirme sua presença no evento oficial no Facebook clicando AQUI.
Uma programação paralela sobre Björk, incluindo rodas de conversas, deve acontecer no MIS até o fim da mostra no Brasil. Fique ligado nas redes sociais do Björk BR!


A informação já havia sido adiantada em julho do ano passado na coluna de Lauro Jardim no Globo. A Dueto, produtora de Monique Gardenberg, foi a responsável por dois dos três festivais que trouxeram nossa amada ao Brasil. Aliás, em 2007, quando esteve no país com o show Volta, a cantora também compareceu à pré-estreia do filme O Passado, do diretor Hector Babenco, como convidada de Monique, que a conhecia de suas outras visitas por aqui.

Em novembro de 2018, o projeto também apareceu como aprovado no edital dos agraciados com o patrocínio do Centro Cultural Banco do Brasil, pela Cinnamon Comunicação. Será que teremos a exposição em mais lugares além do MIS, e shows como aconteceu em algumas das cidades que receberam a produção?

Saiba mais:




Comente com outros fãs:

Postagens mais visitadas deste blog

Uma conversa entre Rei Kawakubo e Björk

“Essa entrevista poderia ser chamada de Folclore do Futuro ou algo envolvendo a palavra "folclore"?”. Essa foi uma solicitação de Björk antes da Interview Magazine publicar em outubro de 2019 uma conversa por e-mail inédita entre ela e Rei Kawakubo, fundadora da marca Comme des Garçons e da Dover Street Market. Confira a tradução completa do bate-papo:
BJÖRK: Querida Rei, estou muito honrada por termos essa conversa! Você é uma das pessoas que eu mais admiro, estou emocionada que isso esteja acontecendo. Estava pensando onde os interesses de nós duas se sobrepõem e, por algum motivo, comecei a pensar nas raízes, no folclore, ou na falta dele. Você mencionou em uma entrevista de 1982, que queria se afastar das influências folclóricas da moda japonesa. Acho isso muito interessante. Sempre achei que as culturas japonesa e islandesa têm  coisas em comum que, quando o budismo e o cristianismo chegaram, foram feitas com menos violência do que em outros países, o que serviu de pont…

Relembre as vindas de Björk ao Brasil

As apresentações mais recentes de Björk no Brasil aconteceram há mais de 10 anos, entre 26 e 31 de Outubro de 2007. Relembre essas e outras passagens da islandesa, que já disse ter vivido momentos mágicos em nosso país.
Mas antes de tudo, uma curiosidade: Björk já foi capa da famosa/extinta revista brasileira Bizz, edição de Dezembro de 1989, o que comprova a divulgação do trabalho da artista no Brasil antes mesmo do grande sucesso e reconhecimento em carreira solo.
1996 - Post Tour:
SETLIST:  Army of Me One Day The Modern Things Venus as a Boy You've Been Flirting Again Isobel Possibly Maybe I Go Humble Big Time Sensuality Hyperballad Human Behaviour The Anchor Song I Miss You Crying Violently Happy It's Oh So Quiet.
Em outubro de 1996, Björk vinha pela primeira vez ao Brasil com shows marcados em São Paulo (12/10/96) e no Rio de Janeiro (13/10/96), como parte do Free Jazz Festival.



Em entrevista à Folha de São Paulo, Björk se disse ansiosa pelas apresentações:
"Vai ser m…

Em 1997, Björk já pensava em trabalhar com a realidade virtual

Vulnicura VR é o primeiro álbum em realidade virtual da história. Nele, cada experiência musical faz parte de um todo maior; uma narrativa visual que une cada canção. No entanto, segundo a edição de setembro de 2019 da Crack Magazine, esta não foi a primeira tentativa de Björk em querer dar vida a um projeto com esse tipo de tecnologia. Nos anos 90, quando a ferramenta começava a ganhar visibilidade, a islandesa quis criar uma experiência semelhante para o álbum Homogenic. Na época, muitos estudiosos acreditavam que os VRs seriam a próxima grande mudança de paradigma da humanidade após a Internet. Mas ficou como promessa, já que além de cara, não estava desenvolvida o suficiente para materializar as ideias da cantora, não para o mundo que ela queria construir. A artista acredita que a realidade virtual ficou por muito tempo em segundo plano.
Só em 2013, os primeiros headseats especializados foram lançados. Então, Björk e seu diretor criativo (e braço direito) James Merry entraram em c…